O Rapaz que não soube ler seu manual

Ninguém sabe o quanto demorou para que a cabeça dele começasse a imitar o comportamento das outras pessoas quando está entre grupos ou até mesmo em situação onde seria necessário uma pessoa normal agir diante os resultados que possam acontecer.
Talvez para maioria das pessoas possa achar que frescura o que ele sente quando está em contato com outras pessoas, ou sua vontade de tentar saber qual a finalidade de viver em sociedade, ou o vazio constante que ele tem em sua alma, que o consome todos os dias, ou aquele assunto tão interessante que o faz falar, que os outros acham chato.
Todas as regras parecem sem lógica, assim como as pessoas e os sentimentos que lhe deixam desconfortáveis nem a vontade para parecer um indivíduo menos isolado. Todos tem ou tiveram um manual de instrução, menos ele, tudo o que faz certo (as coisas e decisões para pessoas normais) é uma simples imitação do que todos fazem quando estão em grupos ou fazendo suas coisas como uma pessoa normal.
Uma coisa que o machuca muito, é quando tem que conversar com outra pessoa eu outro fala frases que contenham duplos sentidos ou figuras de linguagem ou que faça muitas expressões faciais e gestuais, pois sua compreensão não é tão boa quanto dos normais. É complicado ele manter uma conversa com uma pessoa.
Ninguém o entende como ele é de verdade, apenas é diferente. Quem sabe algum dia entendam sua sensibilidade para alguns estímulos sensoriais, seu problema de socialização, a falta de empatia para conversar, seu hiperfoco noque está fazendo ou seu interesse por alguns assuntos específicos e outros nem tanto.
Algum dia ele será compreendido por não ser um monstro, mas uma peça de porcelana que deve ser manuseada nas horas certas e de forma certa, pois ele precisa de seus momentos solitários, não por ser solitário, mas por ter que colocar sua cabeça no lugar e ter seu momento de autoconscientização de que é uma pessoa igualmente as outras, somente que possui suas próprias particularidades diferenciadas.
Alcenir Borges Sousa Júnior

Comentários

  1. Impressionante. Tudo isso acontece de fato, onde parece que em alguns momentos ninguém nos compreende, parece que vivemos em um mundo que não é nosso ou então não devíamos habita-lo e que temos que tentar constantemente acompanhar o movimento das outras pessoas, se não ficamos para trás...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas